O lobista Mário Góes é o novo delator da Operação Lava Jato. Ele já prestou dois depoimentos à força-tarefa do Ministério Público Federal que investiga corrupção e propinas na Petrobras. Mário Góes é apontado como operador de propinas na Diretoria de Serviços da Petrobras.

Em um deles, ele confirmou que usou suas empresas, a RioMarine e a Phad Corporation, para repasse de propina e lavagem de dinheiro da Andrade Gutierrez para a Diretoria de Serviços da Petrobras. O presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, está preso desde 19 de junho e nesta quarta-feira, 29, virou réu em ação penal por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.