A Secretaria para Assuntos da Região Metropolitana realizou ontem o primeiro encontro com o futuro presidente da Urbs, Paulo Schmidt, para apresentação das obras previstas no Programa de Integração do Transporte Coletivo para o ano que vem. "É um início do diálogo entre a Comec, Secretaria de Assuntos da Região Metropolitana e a Urbs, que é a gerenciadora do sistema metropolitano de transporte", afirmou o secretário Edson Strapasson ao detalhar o investimento de R$ 114 milhões "no maior projeto empreendido pelo governo do Estado para integração da Região Metropolitana".

Entre as intervenções a serem realizadas no sistema, a mais importante é a que soluciona o esgotamento da capacidade do terminal do Alto Maracanã. Como a ampliação do terminal é limitada em razão da sua localização -próximo a um colégio, delegacia e propriedades particulares – a solução é a construção de um terminal na região do Guaraituba para posterior reforma do terminal do Alto Maracanã. "O novo terminal absorveria 40% da demanda do Alto Maracanã – o que permitiria a reforma daquele terminal que está com sua capacidade esgotada desde 1996 – e proporcionaria o crescimento econômico da região do Guaraituba", explicou Strapasson.

O secretário ressaltou que a alteração não geraria aumento da tarifa ou da demanda para os terminais de Curitiba que recebem os passageiros dos terminais metropolitanos, uma vez que o número de passageiros continuaria o mesmo. "Nós entendemos as limitações que o terminal do Maracanã tem e as complicações para sua ampliação, em função da sua localização e dos limites que a própria região oferece e por isso temos a certeza que, após avaliação operacional para analisar a questão da integração, as soluções serão encontradas", avaliou Schmidt.

Além das obras envolvendo os dois terminais, Strapasson também destacou o prolongamento da avenida Anita Garibaldi "criando condições viárias que hoje estão esgotadas" e a triplicação da Estrada da Ribeira no trecho do Atuba até o Maracanã, "que apesar ser rodovia federal, o Estado está assumindo as obras", destacou.

O secretário e o futuro diretor avaliaram a reunião como positiva. "Vejo um grande interesse do governo do Estado em aumentar o conforto no transporte tanto para a população de Curitiba como da Região Metropolitana", salientou Schmidt. Para Strapasson, o entendimento caminha "num clima harmônico para busca de soluções e do que é melhor para o cidadão". Também participou da reunião Rui Hara, futuro secretário municipal para Assuntos da Região Metropolitana.