Arquivo / O Estado
Arquivo / O Estado

Jaime lerner: ex-governador
não se manifestou.

Do grupo que deixou o PSB de Curitiba esta semana, apenas o líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Mario Celso Cunha, já definiu a integração ao PSDB. O ato tem até data marcada: será segunda-feira (29), às 14h, no Anexo II do Palácio Rio Branco, sede do Legislativo. O vereador explicou que se decidiu pela sigla tucana em função de sua ligação com o prefeito Beto Richa (PSDB).

O grupo do vice-prefeito Luciano Ducci deve formalizar a nova filiação nos próximos dias, mas já foi oficialmente convidado pela cúpula tucana, numa reunião que aconteceu na noite terça-feira e da qual participaram, entre outros, o presidente do diretório regional, deputado Valdir Rossoni, o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Hermas Brandão, e o ex-ministro Euclides Scalco. A idéia é promover uma filiação em massa, que vem a calhar dentro do projeto de ampliação dos quadros que o partido vem desenvolvendo em todo o Estado e que visa garantir uma chapa forte para as disputas proporcionais e majoritária.

Conversas

Nem todos os ex-socialistas, porém, devem se filiar ao PSDB. Alguns, como o vereador Manassés de Oliveira e o ex-vereador José Aparecido Alves, o Jotapê, incluíram o PPS na sua agenda de conversas. Manassés tem prazo para se decidir porque pretende disputar uma vaga na Câmara Federal no ano que vem, e só estará apto a fazê-lo se estiver filiado até o final de setembro.

O que assusta alguns ex-socialistas é o cálculo do quociente eleitoral. Para garantir a eleição pela sigla tucana será necessário um número de votos bem superior ao que poderia assegurar um mandato pelo PSB. O ex-governador Jaime Lerner, que se filiou ao partido após deixar o PFL, há dois anos, ainda não se manifestou sobre as mudanças ocorridas esta semana.

Os deputados estaduais da legenda, Reni Pereira e José Domingos Scarpelini, ficam onde estão, afirmando acreditar que há um potencial grande de crescimento para o socialismo: "A eleição a qualquer preço não nos interessa nem ontem, nem hoje e nem amanhã; o poder pelo poder também não. Os compromissos e as metas fundamentais do PSB são com a República, a democracia e as reformas sociais", afirmou Pereira em discurso feito esta semana na tribuna da Assembléia Legislativa.

Com um projeto de aliança com os partidos de esquerda -PCdoB, PCB, PPS, PDT, PSOL, PT, PSTU e PV – para as próximas eleições, o PSB paranaense está, segundo Scarpelini, empenhado em atrair novas filiações no interior do Estado para lançar candidatos às eleições proporcionais nos maiores colégios eleitorais do Paraná.