A CPI das Universidades promove amanhã nova reunião no plenarinho da Assembléia Legislativa. Nos encontros anteriores, houve a acareação entre o funcionário Darci Santos, ex-pró-reitor Nadir Laidane e o ex-chefe da seção financeira da UEPG Gabriel Kravchychyn.

A comissão levantou informações sobre a retirada semanal por Darci de quantias de dinheiro (que poderiam chegar à média semanal de R$ 5 mil) da seção de Receita, que as repassava ao seu chefe Kravchychyn, que por sua vez as encaminhava ao pró-reitor Laidane.

Segundo o pró-reitor, o dinheiro seria utilizado para o pagamento do curso de mestrado dos professores Roberto Frederico Merhy e Ítalo Grande.

Para esta reunião, Merhy e Ítalo também foram convocados, para que seja realizada, juntamente com os depoentes anteriores, acareação mais ampla com o objetivo de esclarecer pontos essenciais sobre o processo de desvio de recursos da UEPG.

A CPI também requereu para as universidades estaduais de Ponta Grossa, Londrina, Maringá e Campo Mourão, entre outras, informações e documentos sobre contabilidade, finanças, folha de pagamento e vestibulares.

Para a Secretaria de Ciências e Tecnologia foram solicitadas várias informações, enquanto que a Secretaria do Trabalho deverá dar esclarecimentos sobre a utilização de repasses de recursos federais para essas instituições.

Segundo os deputados Sérgio Bradock (presidente da CPI-U) e Neivo Beraldin (relator), a comissão vai gestionar junto à Receita Federal e Banco Central, para a obtenção de dados relativos aos sigilos bancário e fiscal dos depoentes, que já ofereceram expontaneamente as quebras.