O advogado Nélio Machado está avaliando se irá defender Fernando Soares, o Baiano, investigado na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, por participar de um suposto esquema de corrupção na Petrobras.

Baiano, preso desde novembro em Curitiba, é apontado como operador do PMDB na petroleira. O Ministério Público Federal (MPF) abriu denúncia contra ele, na qual o identifica como lobista e agente em um esquema de recebimento de propina de fornecedores em licitações para a contratação de navios-sondas, utilizados na exploração e produção de petróleo e gás natural.

Nélio Machado disse ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que não defende pessoas que tenham firmado acordo de delação premiada e que, se for o caso de defender Baiano, certamente o acusado não firmará acordo de delação com a PF. O advogado pretende decidir ainda hoje, até o fim do dia, se aceitará o caso.

“Deixei de defender outro caso semelhante por causa da delação premiada”, disse Machado. Ele chegou a defender Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, e um dos principais delatores na Lava Jato.