Átila Alberti / O Estado do Paraná
Feira do Pinhão começa amanhã.

A Praça Osório passa a abrigar, a partir de amanhã, a Feira do Pinhão, uma das mais tradicionais da cidade. Até o dia 3 de julho, a feira deverá comercializar 18 toneladas de pinhão in natura e cozido. Também serão vendidas cerca de 300 toneladas de poncan.

A feira especial, com 57 barracas, é promovida pela Secretaria Municipal do Abastecimento e a Fundação de Ação Social. De segunda-feira a sábado, funcionará sempre das 19h às 22h; e aos domingos, das 14h às 22h.

Além do pinhão e cítricos, o consumidor encontrará ainda comidas típicas de várias etnias, quentão, milho verde, mel e derivados, artesanato regional em madeira e roupas para festas juninas e artigos em marchetaria.

Limite

Em função da safra reduzida, o pinhão deverá ser ofertado em quantidade limitada, diz o presidente da Associação de Produtores Rurais de Rio Branco do Sul, Divonsir Stresser. Mas Stresser também garante boas vendas de poncan, que neste ano promete safra expressiva em toda a Região Metropolitana de Curitiba.

Na feira, além da Associação dos Produtores de Rio Branco do Sul e das associações curitibana e paranaense de apicultores, funcionarão seis barracas de entidades filantrópicas, 16 de artesanato da Fundação de Ação Social (FAS), duas do programa Empório Metropolitana, e quatro do Linhão do Emprego.