Foi inaugurada ontem uma unidade de reciclagem de plástico em Almirante Tamandaré. No local, os alunos do projeto Centro de Excelência de Ensino Médio do Curso Técnico em Petróleo, desenvolvido pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em parceria com a Secretaria Estadual de Educação e a prefeitura da cidade, vão poder ter suas aulas práticas. Os estudantes estão sendo preparados para atuar em fábricas que trabalhem com derivados de petróleo. Este mercado está em expansão: só em 2001, 8 mil estrangeiros conseguiram visto permanente para atuar na área no Brasil. No Paraná, este é o único curso sobre o assunto e no resto do País existem apenas oito.

A unidade de reciclagem deve começar a operar no fim deste mês, produzindo sacolas, copos e potes plásticos. As garrafas PET vão ficar de fora, já que sua composição não pode ser aproveitada pelo processo de reciclagem da unidade. O material que vem do lixo também não será contemplado por enquanto, porque precisaria mais água do que o disponível para reciclá-lo. O plástico usado serão as sobras industriais.

São sessenta alunos em duas turmas. Alguns estudantes são bolsistas, que recebem R$ 161,00. Luiza Gonzatto, de 16 anos, confessa que só se interessou pelo programa pela oportunidade de ganhar a bolsa. Agora pensa diferente. “Não tinha idéia do amplo mercado. Vou prestar vestibular para Engenharia Mecânica”, conta.

Eles têm aulas do ensino médio no Colégio Estadual Vereador Pedro Piekas, no município, e as aulas técnicas na UFPR. A primeira turma era composta só por adolescentes da cidade, este ano a oportunidade foi aberta para outros da Região Metropolitana. O projeto foi financiado através de convênio entre a Fundação Vitae e a UFPR, com a Agência Nacional do Petróleo. O investimento foi de R$ 220 mil.