O Corpo de Bombeiros registrou no feriado de Carnaval 125 incidentes em meio liquido (113 auxílios a pessoas em situação de risco e 12 casos de afogamento, sendo que um deles resultou em morte). No período, a corporação disponibilizou para a população local e flutuante na região de praias 89 postos e 661 profissionais (644 bombeiros militares e 17 guarda-vidas civis) para as mais diversas atividades de prevenção ao perigo.

“Há anos fazemos um trabalho de orientação com a população sobre os cuidados no mar e os riscos de afogamento, mas percebemos que algumas pessoas insistem em se banhar em área não protegida e, por isso, acabamos tendo incidentes de grande gravidade. Nas situações que ocorreram durante o Carnaval nossas equipes agiram rapidamente, porém um caso resultou em óbito. Além do trabalho preventivo fazemos a manutenção dos postos e usamos quadriciclos para percorrer os locais mais distantes”, diz o comandante do 8º Grupamento de Bombeiros (8º GB), tenente-coronel Paulo Henrique de Souza.

Ainda neste feriado foram feitas 8.103 orientações e 3.834 advertências a pessoas em risco de afogamento nas praias. Os bombeiros também registraram 77 crianças perdidas/encontradas, as quais foram devolvidas aos pais ou responsáveis, a distribuição de 3.435 pulseirinhas de identificação para crianças e 431 incidentes com água-viva.

Ainda neste feriado foram feitas 8.103 orientações e 3.834 advertências no litoral paranaense. Foto: Soldado Guilherme Batalha/Aen.
Ainda neste feriado foram feitas 8.103 orientações e 3.834 advertências sobre o risco de afogamento no litoral paranaense. Foto: Soldado Guilherme Batalha/Aen.

Os Bombeiros registraram 18 acidentes em meio de transporte, 37 atendimentos pré-hospitalares, 8 casos de combate a incêndio, 7 serviços de prevenção terrestre, auxílios e vistorias e 6 salvamentos terrestres.

No ano passado, no mesmo período, foram registrados 57 incidentes em meio liquido (10 afogamentos e duas mortes), 9.479 orientações, 5.202 advertências, 79 crianças perdidas/encontradas e 2.024 incidentes com água-viva. Também houve 10 acidentes em meio de transporte, 35 atendimentos pré-hospitalares, 3 combates a incêndio, 10 serviços de prevenção, auxílios e vistorias e 11 salvamentos terrestres.

Para o Carnaval, além dos bombeiros atuantes no Verão Paraná desde dezembro do ano passado, houve um reforço de efetivo e readequação de algumas atividades para que as pessoas pudessem se divertir com tranquilidade. Para as atividades, o Corpo de Bombeiros aplicou embarcações, motos aquáticas, quadriciclos, caminhonetes e outras viaturas, além de receber o apoio do helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), que trouxe agilidade em casos de salvamento e transporte de vítimas.

Apesar da grande estrutura disponível, os bombeiros distribuíram bandeiras na extensão da faixa de areia para orientar os banhistas. “Além dos postos guarda-vidas nas praias, sinalizamos os perigos com bandeiras e os guarda-vidas orientaram e advertiram as pessoas que se coloram em perigo”, explica o tenente-coronel Paulo. O aplicativo criado neste ano pelo corpo de Bombeiros, que emite alertas, também foi muito utilizado.