Foto: Allan Costa Pinto
Ambulante em ação no local.

Usuários do terminal de ônibus do bairro Capão Raso, em Curitiba, estão reclamando da ação de vendedores ambulantes nas dependências do local. Os passageiros criticam principalmente a presença deles na passagem subterrânea do terminal.

Em horário de pico, os camelôs estendem seus produtos, geralmente DVDs e cigarros contrabandeados na passagem subterrânea e atrapalham o fluxo das pessoas. Os frequentadores do terminal afirmam que não adianta reclamar com os fiscais da Urbanização de Curitiba (Urbs). Eles disseram ainda que também não surte efeito ligar para o telefone 156 da Prefeitura.

Usuários relatam também que já presenciaram um ambulante agredindo outra pessoa. Um deles disse ainda que um fiscal da Urbs chegou a ser ameaçado pelo grupo ao pedir que se retirassem do local.

De acordo com a Secretaria Municipal de Urbanismo, órgão responsável pela fiscalização, há inspeções diárias dentro e fora dos terminais. Segundo sua assessoria de comunicação, eles apreendem em média 400 produtos por dia. Porém, a secretaria admite que há deficiência nos atendimentos. ?Os fiscais têm de verificar, além do comércio ambulante ilegal, muros com propagandas irregulares, painéis irregulares, formação de ?mocós?, entre outros. Mesmo se triplicássemos nosso efetivo, ainda sim seria pouco?, informa a assessoria.