As lavanderias de Curitiba estão com movimento maior do que o normal desde a semana passada. Tudo por causa do frio, da chuva e da umidade, que dificultam a secagem das roupas em casa. A solução para algumas pessoas é ir até um desses estabelecimentos e deixar as roupas para secar. Também há clientes comprando secadoras.

Esse foi o caso da administradora Tânia Senhorinho, que comprou uma máquina de secar esta semana e ouviu do vendedor que o utensílio só estará na casa dela daqui a dez dias.

“Nunca tive secadora e agora comprei por causa desse tempo. Só que não tem pronta entrega. Ouvi o vendedor dizer que não aguenta mais atender gente querendo comprar secadora”, afirma.

Enquanto isso, ela deixa lençóis, toalhas e calças jeans na lavanderia. “Aproveito para mandar lavar também. Mas o principal motivo de vir até a lavanderia é que as roupas estão ficando molhadas dentro de casa”, comenta.

Na Lavanderia Lava Roupa Todo Dia, no Centro Cívico, aumentou bastante a procura de clientes pelo serviço de secagem no início desta semana. “De dez clientes, oito são só para secar roupa. A máquina fica trabalhando a noite inteira. Este julho está sendo bem movimentado”, relata a balconista Jane Fernandes.

A Lavanderia Bolha Azul, no Centro de Curitiba, também está com mais encomendas do que o normal. “Cresceu bem a procura desde o início das chuvas fortes. E alguns clientes trazem realmente a roupa só para secar. Esta semana foi a de maior movimento em julho”, comenta a gerente Denise dos Santos Freitas Ramos.

Os estabelecimentos que vendem varais também lucram com o clima. Clientes procuram aqueles que podem ser montados dentro de casa para, assim, tentar secar a roupa mais facilmente.

“O pessoal compra para auxiliar mesmo, como algo temporário. A procura aumentou nos últimos dias”, indica a vendedora Elaine Del Bianco, da Casa dos Varais, que fica no Centro de Curitiba. Os varais auxiliares custam entre R$ 24 e R$ 160.