Radiobrás

Confirmação oficial foi feita ontem,
no Palácio do Planalto, com a
presença do presidente Lula.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou ontem, oficialmente, a realização em Curitiba, em março do ano que vem, das conferências da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Biodiversidade e Biossegurança, que acontecem pela primeira vez no Brasil.

A confirmação oficial foi feita ao prefeito Beto Richa (PSDB) durante solenidade no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Lula, em comemoração ao Dia Mundial da Biodiversidade. O termo de compromisso será assinado nos próximos dias pela ministra e por Beto numa solenidade ainda a ser marcada, possivelmente em Curitiba.

Os dois eventos – 8.ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8) e 3.º Encontro das Partes da Convenção do Protocolo de Cartagena ou Biossegurança (MOP3) – vão reunir seis mil representantes: entre eles 80 chefes de Estado, de 196 países, e devem movimentar, na cidade, em torno de US$ 30 milhões. ?Esses dois eventos podem resultar em esforços permanentes voltados às questões da biodiversidade no Brasil e no mundo?, disse a ministra ao cumprimentar o prefeito pela escolha da cidade. Segundo ela, Curitiba foi selecionada para sediar as duas conferências por sua infra-estrutura e por ser considerada uma cidade ecológica.

Beto afirmou que a cidade vai se empenhar ao máximo para corresponder à escolha. Ele lembrou que sediar dois eventos deste porte tem um grande significado para Curitiba que, ao longo de todo um mês, será considerada território da ONU e será uma vitrine para o mundo todo.

Conferências

A proposta para a realização das conferências do COP8 e MOP3 no Brasil foi apresentada pela ministra Marina Silva, no ano passado, durante a conferência realizada em Kuala Lampur, na Malásia.

Curitiba disputou a condição de sede dos dois eventos inicialmente com 12 cidades brasileiras.

O número de participantes diretos dos eventos, seis mil pessoas, equivale a 33,33% dos leitos da rede hoteleira de Curitiba. Além disso, agências de viagens, organizadores de eventos, empresas de transporte, restaurantes e diversos outros setores serão beneficiados.

Leia mais sobre o evento A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou ontem, oficialmente, a realização em Curitiba, em março do ano que vem, das conferências da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Biodiversidade e Biossegurança, que acontecem pela primeira vez no Brasil.

A confirmação oficial foi feita ao prefeito Beto Richa (PSDB) durante solenidade no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Lula, em comemoração ao Dia Mundial da Biodiversidade. O termo de compromisso será assinado nos próximos dias pela ministra e por Beto numa solenidade ainda a ser marcada, possivelmente em Curitiba.

Os dois eventos – 8.ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP8) e 3.º Encontro das Partes da Convenção do Protocolo de Cartagena ou Biossegurança (MOP3) – vão reunir seis mil representantes: entre eles 80 chefes de Estado, de 196 países, e devem movimentar, na cidade, em torno de US$ 30 milhões. ?Esses dois eventos podem resultar em esforços permanentes voltados às questões da biodiversidade no Brasil e no mundo?, disse a ministra ao cumprimentar o prefeito pela escolha da cidade. Segundo ela, Curitiba foi selecionada para sediar as duas conferências por sua infra-estrutura e por ser considerada uma cidade ecológica.

Beto afirmou que a cidade vai se empenhar ao máximo para corresponder à escolha. Ele lembrou que sediar dois eventos deste porte tem um grande significado para Curitiba que, ao longo de todo um mês, será considerada território da ONU e será uma vitrine para o mundo todo.

Conferências

A proposta para a realização das conferências do COP8 e MOP3 no Brasil foi apresentada pela ministra Marina Silva, no ano passado, durante a conferência realizada em Kuala Lampur, na Malásia.

Curitiba disputou a condição de sede dos dois eventos inicialmente com 12 cidades brasileiras.

O número de participantes diretos dos eventos, seis mil pessoas, equivale a 33,33% dos leitos da rede hoteleira de Curitiba. Além disso, agências de viagens, organizadores de eventos, empresas de transporte, restaurantes e diversos outros setores serão beneficiados.