A Sanepar de Foz do Iguaçu fez ontem o monitoramento e limpeza do sistema de captação de água, no lago de Itaipu. O objetivo foi analisar e controlar a proliferação do molusco chamado mexilhão dourado, que está se desenvolvendo no lago.

Uma equipe de mergulhadores fez filmagens subaquáticas no sistema de captação de água. Dos quatro módulos de captação da Sanepar, apenas em dois deles foi localizado colônias do molusco na parte interna e externa da tubulação.

A empresa está realizando a limpeza mecânica do conjunto de tubulação que capta água do lago de Itaipu para retirada do molusco. A preocupação da empresa é que a proliferação indiscriminada do mexilhão cause a obstrução da tubulação e de equipamentos eletromecânicos, dificultando a captação da água bruta.

De acordo com o engenheiro Jackson Gonçalves, da Sanepar, o monitoramento é importante porque possibilita identificar o comportamento do molusco, e programar manutenções que irão garantir a operacionalização do sistema sem qualquer prejuízo para a população. O mexilhão dourado não compromete a qualidade da água captada ou distribuída pela Sanepar. Ele é considerado pelos técnicos com um agente filtrador e não apresenta nenhum grau de toxidade.