Funcionários e professores das escolas públicas se reuniram ontem na Assembléia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Paraná (APP), realizada no auditório do Colégio Estadual do Paraná. Além da prestação de contas, do plano orçamentário e relatório das atividades políticas de 2004 por parte da APP, também foi definida durante o encontro a pauta de lutas para a categoria em 2005. ?Nossa principal reivindicação continuará sendo salarial?, afirma o presidente do Sindicato, José Rodrigues Lemos.

Segundo Lemos, a categoria tem uma perda salarial acumulada de 36,62% entre agosto de 1995 e dezembro de 2004. ?A nossa data-base é dia 1.º de junho. Até lá esperamos avançar na negociação com o governo?, diz. Para o presidente, a maior dificuldade para reposição na categoria é a falta de vontade política. ?O orçamento e a legislação já permitem. Basta querer.?

Lemos destaca como um bom exemplo de negociação a elevação salarial aos professores que atuavam na rede pública por meio de contratos celetistas ou de Processo Seletivo Simplificado, anunciado pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) na sexta-feira. ?Negociamos com o secretário Maurício Requião na quinta e no dia seguinte o acordado foi oficializado.? Mas ele lembra que não se tratou de reajuste. ?Essa elevação já estava garantida através da lei complementar estadual 106, aprovada no ano passado.?

O presidente informa ainda que os professores pretendem exigir, em 2005, ampliação da jornada de trabalho, o que, segundo ele, já está garantido no plano de carreira da categoria no Estado. ?Só está faltando a regulamentação?.