Foto: Anderson Tozato

Galhos de árvores e pneus impediam a passagem de carros.

O atropelamento de duas pessoas foi a gota d?água para a população que vive nas proximidades da esquina entre as ruas Major Heitor Guimarães e Francisco Nadolny, no Campina do Siqueira, em Curitiba. No final da tarde de ontem os moradores da região fecharam o trecho por vinte minutos, exigindo que a Prefeitura de Curitiba instale mais sinaleiros no local.

O movimento foi comandado por Leandro Mendes, que viu a mãe e a irmã dele serem atropeladas na última sexta-feira. ?Não foi o primeiro caso. Depois que fizeram o binário, facilitou o trânsito, mas dificultou para quem mora no bairro?, diz.

A comerciária Ana Paula, irmã de Leandro, diz que a distância entre um sinaleiro e outro é muito grande e, por isso, decidiram atravessar fora da faixa. ?Os carros pararam para a gente atravessar, mas um deles saiu da fila parada e interrompeu a pista ao lado, quando já estávamos quase na calçada?, diz. Com o impacto do atropelamento, ela perdeu a consciência e depois foi diagnosticado que Ana teve traumatismo craniano. Regina Mendes, mãe dela, sofreu fratura na pélvis e no punho e vai ficar acamada por três meses.

Outra moradora da região, Angélica Queiroz, diz que depois que a obra foi concluída, ficou difícil de transitar no bairro. ?Um sinaleiro fica a três quadras do outro. É uma caminhada enorme que temos que dar. E com tanto trânsito, é impossível atravessar a rua?, diz.

O protesto surtiu o efeito desejado e o coordenador da regional da Diretran, Eduardo Paim, anunciou que a Prefeitura vai instalar um sinaleiro na esquina. ?Em 30 dias, o sinaleiro estará instalado. E enquanto isso não ocorre, vamos manter agentes de trânsito no local nos horários de pico?, garantiu.

Obras

Entre as 20h de ontem e às 5h de hoje, a Avenida Silva Jardim, na esquina com a Rua 24 de Maio, no centro de Curitiba, funcionou em meia-pista. Depois de receber uma denúncia através da central 156, a Prefeitura foi ao local na manhã de ontem e detectou problemas de erosão na pista provocada por problemas na tubulação pluvial no local. Para evitar problemas de enchentes, a Prefeitura decidiu interceder imediatamente.

Mão única

Também devido a obras, o trânsito na Rua Ponta Grossa está fluindo em sentido único (Portão-Centro) entre a Avenida Kennedy e a Avenida dos Estados. A alteração visa desafogar o fluxo na região, prejudicado pela abertura de uma trincheira entre as avenidas Kennedy e Eduardo Carlos Pereira.