Os professores estaduais já têm assembleia marcada para o próximo dia 18 para analisar se entram em greve caso o governo não cumpra o acordo sobre o pagamento da primeira parcela de reajuste. O índice de 6,66% deve ser pago no dia 17. A segunda parcela, com o mesmo percentual, está programada para o mês que vem. No dia 18 também está programada a paralisação em toda a rede estadual de ensino.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato) realizou ontem ato na Boca Maldita, para esclarecer a população sobre a posição da categoria. Além disso, a mobilização com panfletagem também fazia parte do dia de marcha nacional da categoria em Brasília para a reivindicação da aplicação do piso nacional dos professores em todos o País.

“Estamos aguardando o cumprimento conforme as datas apresentadas na reunião do dia 30 do mês passado. Estamos em estado de greve e, se o governo não cumprir com o pagamento da parcela, não haverá outro jeito a não ser parar as atividades”, explica a presidente do APP-Sindicato, Marlei Fernandes.

Reivindicação

De acordo com a sindicalista, ainda há outra reivindicação que também pode forçar a greve caso o acordo entre professores e governo não seja cumprido. “Existe o compromisso de aplicar os 33% da jornada de trabalho como hora-atividade a partir de dezembro. Se isto não acontecer, os professores podem nem começar o próximo ano letivo”, comenta.