A prefeitura de Londrina não reconhece a dívida com os hospitais credenciados da cidade, que ameaçam parar de receber pacientes se o repasse municipal não acontecer. Em audiência pública, a Secretaria de Saúde contestou o valor dessa dívida, estimada pelos hospitais em mais de R$ 25,7 milhões. Para o município, esse valor não ultrapassa R$ 360 mil.

Na Santa Casa, a dívida seria de R$ 12 milhões e o município admite dever apenas R$ 98,32. A prefeitura alega que R$ 7 milhões da dívida ainda tramitam em processo judicial referente à diferença de urgência e emergência, não podendo ser computados oficialmente.

Outro caso discrepante é do Hospital Evangélico de Londrina, onde de R$ 3,2 milhões, o município reconhece apenas R$ 2,09. Os diretores do hospital devem se manifestar na semana que vem, depois de pedir comprovações para avaliar a metodologia e entender como a auditoria foi feita.

Segundo a prefeitura, auditoria da Secretaria de Fazenda comparou o valor entregue pelos hospitais com as informações do município sobre o que já havia sido pago e o que estava especificado em contrato.