noel231204.jpg

A pequena Kauane realizou
o sonho e ajudou a mãe.

A pequena Kauane Martins Zancanella, de 4 anos, nem imaginava que ao abrir o portão da modesta casa, no bairro Cajuru, em Curitiba, encontraria o Papai Noel carregado de presentes. Entre eles, estavam duas camas que a menina pediu em uma carta que enviou para o "bom velhinho". Agora Kauane irá substituir a cama improvisada – que ficava apoiada sobre tijolos – por uma nova e ter bons sonhos neste Natal.

A carta de Kauane foi selecionada entre mais de três mil correspondências enviadas neste ano para o programa "Papai Noel dos Correios". A empresa resolveu atender o pedido da menina depois de confirmar as informações da carta, que foi escrita por uma amiga. Nela, Kauane conta que depois que a mãe descobriu que estava com câncer na mama, perdeu o emprego e a família começou a passar por dificuldades. "Ela foi mandada embora e caiu em depressão, pois não conseguia arrumar emprego. O cabelo dela caiu e ela emagreceu", diz na carta, acrescentando que as contas começaram a se acumular e "ela chora por não saber o que fazer".

A menina também relata que elas dormem juntas no chão, e que não conseguem se aquecer porque a coberta é fina, "e ela já esteve internada por pneumonia da friagem". A comida também começou a ficar escassa, e somente quando a mãe ganha algum dinheiro com a venda de lixo reciclável é que consegue levar as coisas para a casa. Kauane se diz preocupada com a situação da mãe, que já teria tentado o suicídio várias vezes. Por isso, gostaria de dar um pouco de alegria para ela, ao menos neste Natal.

Surpresa

A mãe de Kauane, Leonilda Machado, disse que ficou admirada com a atitude da menina, e só ficou sabendo da carta quando uma assistente social dos Correios foi até a sua casa. "Eu achei que era um trote, pois não sabia de nada. Fiquei impressionada com o que ela pediu", disse Leonilda, que conta que quando chove a casa enche d’água e as duas têm que dormir no colchão molhado.

A mulher relata que a situação ficou difícil depois que descobriu que estava com câncer e foi demitida do emprego. Para conseguir ganhar dinheiro, recolhe lixo reciclável ou faz serviços de jardinagem. Neste mês conseguiu ganhar R$ 200, e só com o aluguel terá que desembolsar R$ 150. "Não vai sobrar nada, e se não fosse essa ajuda, não teria nada para passar o Natal", comentou, acrescentando que por preconceito ninguém quer lhe dar outro emprego. Além das duas camas e colchões, a pequena Kauane também ganhou brinquedos, cobertores e comida.

Projeto

Neste ano, o projeto "Papai Noel dos Correios" recebeu no Paraná 6.326 cartas, das quais 3.338 deverão ser atendidas por diversos anônimos que foram até a empresa para selecionar um pedido. Uma dessas pessoas foi o representante comercial Leoberto Schatz, que escolheu duas cartas. Esta foi a primeira vez que ele participou do projeto, e confessa que ficou bastante emocionado. "Achei que estava na hora de tomar uma atitude para tentar mudar um pouco a realidade dessas pessoas que vivem com tão pouco."

Missa do Galo mostra realidade

"Não devemos nos preocupar tanto com presentes e grandes enfeites no Natal. Neste dia, nosso coração deve ser o presépio e acolher a Cristo." Essa é a mensagem do bispo auxiliar de Curitiba, dom Ladislau Bienarski, para todos que comemoram o nascimento de Jesus Cristo. Para ressaltar essa mensagem, a Missa do Natal, conhecida popularmente como a Missa do Galo, vai ser realizada amanhã, às 20h, na Catedral de Curitiba.

Dom Ladislau explica que o Natal é época de Paz. Para os cristãos, Jesus é o filho de Deus e veio ao mundo trazer a esperança e a comunhão entre as pessoas. "Mesmo quem não é cristão reconhece que ele foi uma pessoa extraordinária", fala.

Segundo dom Ladislau, a celebração do Natal é das mais festivas da igreja. "É a alegria do nascimento de uma criança e a família é toda a humanidade", conta. Durante a missa é pedida paz e tranqüilidade. "Esse mundo está tão violento, cheio de seqüestros, assaltos, a terra sendo envenenada e a água poluída. Precisamos de muita harmonia", deseja. (Elizangela Wroniski)