As reformas na Avenida Comendador Franco, mais conhecida como Avenida das Torres, geram transtornos a quem transita a pé ou de carro pela região. Como consequência das obras, o trânsito fica mais complicado, faltam locais para travessia de pedestres e motoristas fazem conversões proibidas.

Na opinião do taxista Damião Campos o pior dia é sexta-feira. “Fica fila desde o Viaduto do Colorado. Entre 11h e meio-dia os operários começam a mexer na pista e atrapalha todo o trânsito. Outro dia passei por aqui e tinha máquina parada, atrapalhando o movimento e o condutor estava sentado com os pés no volante lendo uma revista”, conta o taxista, que faz este trajeto diariamente levando passageiros de hotéis até o Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais.

Para o estudante Murilo Santos Rutes, que mora perto da avenida, um fato que prejudicou foi a mudança do ponto do Interbairros II, “que está bem mais longe”. Ele também comenta que as reformas são ruins para idosos e cadeirantes. O cozinheiro Valdecir Schirlo, morador da região, acredita que “a obra é lenta, o processo poderia estar mais acelerada”.

Sinalização

Quem vai pela avenida do Centro de Curitiba em direção a São José dos Pinhais encontra indicação de guinada à direita para ir ao Balaroti, no outro lado da via, porém logo após pegar a direita não existe sinalização de qual rua deve ser seguida, em um ponto onde existem mais de três opções. Outro problema são as grades colocadas em longo trecho no meio da avenida, obrigando pedestres a pular a proteção metálica para atravessar a pista. Além disso, a Tribuna flagrou motoristas fazendo retornos em locais não permitidos, como em frente à Fiep e no semáforo para quem vai em direção ao Viaduto do Colorado.

Único ponto elogiado foi a retirada do semáforo e o fechamento do retorno à esquerda na frente do Big, para quem pretendia acessar a Linha Verde Sul. Agora é preciso passar por trás do hipermercado para pegar a rodovia, desaparecendo as filas que existiam antes.

Revitalização pronta até abril

A assessoria do Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba) informou que a conclusão das obras está prevista para abril do ano que vem. Em nota, informou que após a revitalização a avenida terá quatro pontos de travessia para pedestres bem definidos e sinalizados, entre a empresa Reunidas e o hipermercado Big: Avenida Comendador Franco x Rua Colorado, Trincheira Chile, Trincheira Guabirotuba e Avenida Comendador Franco x Rua Aquelino Orestes Baglioli. “Na região do Viaduto Estaiado, a passagem será feita em desnível, no viaduto, onde haverá área específica para pedestres, com proteção”, revela.

O Ippuc destaca outros benefícios da obra que virão no próximo ano. “Os mais de 4 mil motoristas e passageiros do transporte coletivo, que por ali passam a cada hora, não perderão 30 minutos ou mais na região, presos em grande congestionamento, como vinha ocorrendo até então”. Segundo o Ippuc, “ao final das obras, os cidadãos irão perceber as melhorias: as novas calçadas, sinalização, iluminação, nova ciclovia, melhor fluidez do tráfego etc”.