Foto: Anderson Tozato/O Estado

Ontem, eles fizeram um protesto na Rua Nova Aurora.

Moradores do Bairro Novo C, em Curitiba, fizeram uma manifestação, ontem, reivindicando a pavimentação da Rua Nova Aurora, uma das principais vias de acesso ao local, próximo ao Sítio Cercado. Segundo eles, o asfalto é promessa antiga e estaria com o processo licitatório concluído desde o ano passado – no entanto, ainda não saiu do papel. Com faixas e som alto eles pediram agilidade no início das obras.

O aposentado Ramildo Ananias Galvão, que mora há oito anos na rua, afirma que esta é a terceira vez que os moradores se reúnem para reivindicar a pavimentação. ?Na Prefeitura a informação era que começariam a fazer o asfalto em novembro do ano passado. Quando terminou o prazo, tentei entrar em contato com o engenheiro (da secretaria de obras), mas não tive retorno?, conta o aposentado. ?Por enquanto, está só na promessa?.

A Rua Nova Aurora é a principal do Bairro Novo C, com acesso direto ao Contorno Sul. O IPTU já é pago há três anos, época em que o local foi regulamentado. ?Já faz todo esse tempo que esperamos o asfalto?, reclama Galvão. A expectativa dos moradores também inclui a vedação da valeta que divide a via em duas pistas, uma vez que o local tem servido de abrigo para ratos, baratas e pernilongos. ?Além disso, também vai valorizar a região?.

O metalúrgico Plínio Mendes, que também vive na Nova Aurora há oito anos, diz que os planos para o futuro ainda não se concretizaram por causa do atraso da pavimentação. ?Eu e minha esposa temos projeto de abrir uma loja. Está tudo pronto; só falta o asfalto?. Ele afirma que, antes disso, não será possível dar andamento ao projeto, principalmente devido à poeira que invade as casas nos dias secos. ?Ninguém vai querer um produto com cheiro de pó?, justifica. De acordo com o morador, a esposa fez até curso promovido pela Prefeitura para desenvolvimento do comércio na região. ?Mas de que jeito vai aplicar o que aprendeu da forma como está? Sem asfalto, o comércio não se desenvolve e é o comércio que vai trazer mais riqueza e desenvolvimento para o bairro?, defende.