Mais de três mil pessoas começaram a caminhar da praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba, em direção à Boca Maldita que, neste momento (16h30), já reúne aproximadamente 25 mil pessoas. No deslocamento do público da Santos Andrade para a Boca Maldita vários grupos se reuniram ao grupo principal.

Esse é apenas um dos atos realizados na cidade na tarde deste domingo (31) e busca pressionar o Senado pela aprovação do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT). Os manifestantes também têm faixas e cartazes contra o Partido dos Trabalhadores, em apoio à operação Lava Jato e às 10 Medidas Contra a Corrupção, entre outras coisas. O ato é organizado por várias frentea, entre elas os movimentos Cívico Renovador, Cuririba Contra a Corrupção, Brasil Livre e Mais Brasil Eu Acredito.

Várias equipes da PM acompanham a movimentação. O efetivo não foi divulgado por questões estratégicas, mas a informação é de que todos os batalhões da capital enviaram equipes.

“Eu estou aqui pelo futuro do país. O brasileiro em geral tem que se espelhar nos bons exemplos, nas pessoas honestas. Só assim nós vamos conseguir resgatar a nossa nação”, argumenta Augusta Pombo de Souza. Do alto de seus 79 anos, ela se diz esperançosa, desde que o povo reaja. “Eu nunca vi uma vergonha tão grande como essa que nós estamos vivendo.

Hamilton: Dilma é doença quelevou braisl pra UTI.

Foto: ÁtilaAlberti

“O Lula é como um mosquito e a Dilma é como uma doença que levou o país para a UTI”, compara o médico Hamilton José Marques. Ele integra o Movimento Cívico Renovador e o Grupo Araucária e defende que o país foi assolado por uma grande epidemia. “O Brasil virou uma ditadura de fato, porque esse grupo dominava os três Poderes. Não virou ditadura de direito porque eles não mudaram a Constituição e não instituíram o Socialismo, mas foi por pouco”.

Família engajada

Ricardo, a neta Eduarda e a filha Rúbia: é a quarta manifestação que participam e pretendem continuar. Foto: Átila Alberti

Em meio aos participantes estava Ricardo Nogare Siqueira com a filha, Rúbia Nogare Siqueira, e a neta, Eduarda Vitória Cabral. Esta é a quarta manifestação da qual eles fazem parte, e pretendem continuar. “Somos contra a corrupção e queremos a melhoria da saúde, da educação e da segurança”, explica Siqueira. Ele também ressalta o problema do inchaço da máquina pública. “Toda a arrecadação de impostos do nosso país vai pra pagar uma infinidade de salários. É preciso cortar gastos”.

Aniversariante

Inspirados pelo trabalho do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato, parte dos participantes celebrou o aniversário do magistrado. Ele completa 43 anos nesta segunda-feira (1°). Por causa disso, pelo menos um dos sete caminhões de som presentes na praça fez uma pausa nas palavras de ordem para entoar a música ‘Parabéns a você’.

Outras manifestações

Na Praça 19 de Dezembro, manifestantes são a favor do retorno de Dilma à presidência.

Foto: Átila Alberti

As outras duas manifestações são na praça Rui Barbosa &n,dash; nesse ponto o ato é pró-Dilma e organizado pela CUT e o PT; e na praça 19 de Dezembro, a ação pede a saída do presidente interino Michel Temer (PMDB) e é coordenada pelo Movimento Povo Sem Medo, Frente de Lutas 29 de Abril, MinC Resiste e o movimento Curitiba Contra o Temer.