O Hospital de Clínicas (HC) anunciou na manhã desta terça-feira (3) a reabertura de 30 das 94 vagas fechadas em outubro. Na segunda-feira (2), o Ministério Público Federal (MPF) estabelceu prazo de 48 horas para que o reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Zaki Akel Sobrinho, adotasse medidas para o funcionamento pleno dos 560 leitos do hospital. A UFPR é que administra o local.

Segundo a assessoria de imprensa do HC, a reabertura foi possível graças ao remanejamento e reorganização do quadro de funcionários. A instituição afirmou também que, após a solicitação do Ministério Público, novos acordos estão sendo fechados com a administração municipal para resolver a questão dos 50 leitos ainda fechados. Há um mês, mais 14 vagas foram reativadas no hospital.

Gravidade da situação

Atualmente, estão funcionando 430 leitos, número ainda longe do que foi solicitado pelo MPF. De acordo com a decisão de segunda-feira, Akel deveria solicitar à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) estudos para um redimensionamento do quadro profissional. Segundo o reitor, seriam necessários 600 funcionários para normalizar o atendimento no Hospital de Clínicas.

A situação teria alcançado tais proporções, segundo o MPF, porque o HC não teria se conveniado à Ebserh. “Em consequência da não adesão à Ebserh, a recomposição do quadro de servidores do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná encontra-se absolutamente paralisada, pois a realização de concursos públicos para contratar novos profissionais é de atribuição exclusiva de referida empresa pública”, declarou a procuradora regional dos Direitos do Cidadão, Antonia Lélia Neves Sanches, autora da recomendação.