Morreu, na noite desta terça-feira (27), em Londrina, no norte do Paraná, Milton Alves de Souza. No dia 22 de setembro, quinta-feira passada, ele havia sido considerado morto pelo Hospital de Zona Norte, mas voltou a respirar enquanto o corpo era preparado para o velório.

Na semana passada o superintendente da Administração de Cemitérios e Serviços Funerários de Londrina (Acesf) contou que após a família escolher o local do velório, uma servidora que prepara os cadáveres começou a fazer a barba do homem, quando a vítima respirou. “Ela percebeu o movimento no abdômen, o que indicava sinais vitais”, disse Ademir Gervásio ao portal G1.

Depois disso foi chamado o Samu, que encaminhou o homem para outro hospital, onde ele ficou pro quatro dias internado.  Milton estava em estado gravíssimo, inconsciente e respirando por aparelhos.

Segundo nota da Santa Casa, o paciente chegou com hipotermia, choque séptico, DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), insuficiência respiratória e insuficiência renal crônica agudizada”.

Para a família de Milton acredita que o quadro de saúde piorou após a situação.

O velório e sepultamento serão realizados no Jardim da Saudade, na zona norte de Londrina.

Com informações do G1 Paraná.