Foto: SMCS

Todo guarda municipal de Curitiba passa, obrigatoriamente, por um rigoroso treinamento de tiro.

A curitibana Regina Cecília Giacomitti é a típica mulher moderna deste começo de século 21. Viúva, cumpre expediente de trabalho de 8 horas, cuida sozinha da filha de 14 anos, corre 10 quilômetros por dia e, vaidosa, vai à academia três vezes por semana. Regina é uma das 115 mulheres que integram a Guarda Municipal de Curitiba. Assim como ela, a Guarda Municipal chegou no século 21 com um perfil mais moderno e profissional. Prestes a completar 20 anos nas ruas da cidade – foi criada em julho de 1986 -, a Guarda exibe profissionais com melhor formação técnica, mais preparo intelectual, educação formal e crescente e aberta a todos os segmentos da sociedade. "Na Guarda construí minha carreira, junto com pessoas conscientes da importância de nosso trabalho para Curitiba", diz Regina.

Nestas duas décadas, o perfil da instituição e de seus profissionais mudou muito. A primeira turma tinha 110 guardas, todos com o ensino primário como escolaridade média. Hoje são, 1.477 guardas, que recebem treinamento de alto nível para ações de apoio à segurança pública e atendimento de emergências. Muito dominam mais de um idioma estrangeiro.

"O crescimento pessoal dos nossos guardas é resultado de muito esforço pessoal somado ao apoio da instituição. Oferecemos flexibilidade na escala de trabalho e convênios com instituições de ensino para aqueles que desejam estudar mais. Isso se reflete diretamente na qualidade do serviço que é oferecido à população, que é uma preocupação do prefeito Beto Richa", afirma o secretário municipal da Defesa Social, Itamar dos Santos. Na estrutura administrativa da Prefeitura de Curitiba, a Guarda Municipal faz parte da secretaria de Defesa Social do Município.

O diretor da corporação, Carlos Celso dos Santos Júnior, é um exemplo da trajetória dos guardas municipais. Aos 22 anos, com apenas o primeiro grau completo, ele começou a trabalhar em 1988 junto com a primeira turma de guardas municipais.

Trabalhando de dia e estudando à noite, Celso terminou o segundo grau, fez faculdade de Administração e duas pós-graduações, uma em planejamento e gerenciamento estratégico e outra em ciência política. Hoje ele é o único diretor de carreira nas Guardas Municipais das capitais brasileiras.

Aulas

A qualificação dos guardas municipais começa no treinamento de acesso à carreira. Depois de aprovado em concurso público, o guarda municipal passa por 600 horas de formação teórica e prática que inclui: aulas de tiro, defesa pessoal, técnicas de patrulhamento e abordagem, relacionamento humano, treinamento físico, aulas de primeiros socorros e condicionamento físico intenso.

As 600 horas, que equivalem a três meses e meio de dedicação exclusiva, não encerram a formação do guarda municipal. Os treinamentos são contínuos e permanentes. São, pelo menos, 80 horas anuais de cursos sobre controle de distúrbios, resolução de conflitos, negociação e mediação, direitos humanos, socorro a pessoas com epilepsia, atendimento e combate a incêndios. Os treinamentos acontecem na Academia da Polícia Militar e na Escola Superior da Polícia Civil. (SMCS)