Os 55 índios avá-guaranis que ocuparam o Parque Nacional do Iguaçu buscando angariar garantias de que teriam mais terras para sua subsistência podem ter conseguido uma resposta positiva. Diante da posição do Ibama, a Funai apresentou proposta de viabilizar o arrendamento de uma área próxima ao local onde os índios vivem, a reserva do Ocoí, como alternativa imediata.

Em nota, os órgãos deliberaram sobre a reunião de ontem, que chegou a um consenso sobre como "buscar uma solução que não seja traumática", conforme descreveram. Os entendimentos entre a Funai e o proprietário das terras a serem arrendadas já estão em andamento, o que leva o órgão a crer que, a partir da liberação do local, seria possível viabilizar o contrato dentro de um mês. A área é de 90 hectares.

Retirada

Como as negociações de arrendamento ainda custarão tempo à Funai, ainda que curto, ficou decidido que o Ibama convocará representantes da Itaipu Binacional e da prefeitura de São Miguel do Iguaçu, região do Parque Nacional, para viabilizar a concessão de área provisória que assentaria os índios até a finalização do processo e garantiria, assim, sua retirada imediata.