Em assembleia ontem à tarde, a maioria dos professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) votou contra a paridade qualificada na eleição para reitor, que acontece nos dias 21 e 22 de agosto. A consulta sobre o peso dos votos de cada categoria foi proposta pela Comissão Paritária de Consulta (CPC) e será realizada também com os alunos e os servidores técnicos, para depois ser levada ao conselho universitário. Só depois de definido o posicionamento das categorias sobre as regras do processo eleitoral, a CPC e o conselho universitário irão elaborar o regimento eleitoral.

De acordo com a assessoria da Associação dos Professores da UFPR (Apufpr), os professores aprovaram a eleição em dois dias seguidos, de modo a obter maior participação de todos. Os docentes também aprovam a possibilidade de dois turnos eleitorais, no caso da disputa de mais de duas chapas. Os candidatos que têm cargo de administração na universidade devem se afastar, para concorrer nas eleições, por questão de ética.

Peso do voto

“A paridade qualificada é uma proposta que daria mais equilíbrio no peso do voto individual de cada membro. O peso individual do voto dos estudantes continua menor do que das outras duas categorias”, explica o secretário geral do DCE, Theo Roorda. Segundo ele, os estudantes se preparam para discutir essas questões no Congresso dos Estudantes da UFPR, que ocorrerá em Palotina neste fim de semana.