A partir de dezembro, os motociclistas que estacionarem suas motos nas áreas do EstaR destinadas aos carros poderão ser multados. Pelo Código de Trânsito Brasileiro, estacionar carro ou moto em desacordo com a sinalização é infração, e tanto motoristas quanto motociclistas estão sujeitos à notificação. A multa é de R$ 53,20, e o motorista ou motociclista perde três pontos na carteira de habilitação.

Até o final do mês de novembro a Diretran irá concluir a nova sinalização que cria 139 novas áreas exclusivas para motocicletas. Com os novos espaços, o anel central e os bairros com área de Estacionamento Regulamentado (EstaR) terão 193 endereços para que as motos possam ser estacionadas sem prejuízo para os motoristas. Durante a renovação da sinalização horizontal (pintura) e vertical (placas), os motociclistas serão orientados pelos agentes municipais de trânsito.

Por enquanto, motoristas de carros e motociclistas continuarão dividindo o espaço do EstaR. De segunda a sexta-feira das 9h às 19h e aos sábados das 9h às 13h, os motoristas de carros que desejam ocupar uma das atuais 7.593 vagas do EstaR localizadas no anel central e nos bairros Portão e Bigorrilho devem utilizar o cartão do EstaR, que custa R$ 0,75 a cada hora. Motociclistas não pagam para usar as vagas do EstaR, que já existe na cidade há 22 anos.

Para implantar as novas áreas o número de vagas do EstaR foi reduzido em aproximadamente 160 vagas. A escolha das áreas destinadas às motos foi feita com base num levantamento que mostrou onde há maior necessidade de espaço para motocicletas.

“Mas se depois de toda a renovação da sinalização houver necessidade de implantação de mais vagas, vamos estudar com cuidado e, se for comprovada a necessidade, outras áreas poderão ser criadas”, informou a gerente de operação do trânsito, Léa Hatschbach.

“Contamos com a colaboração dos motociclistas porque não queremos prejudicá-los. Nosso papel é apenas disciplinar o uso das vagas do EstaR sem prejudicar os motoristas que pagam pelo uso das vagas de estacionamento do anel central e nem os motociclistas que têm isenção do pagamento do EstaR, mas também devem ter um espaço reservado para que possam estacionar as suas motos. Sabemos que muitos deles utilizam a motocicleta como instrumento de trabalho.”

Os motociclistas poderão identificar as áreas de estacionamento para motos pela cor amarela e pelas placas indicativas. As áreas exclusivas dos carros continuarão tendo a cor branca e as novas placas têm fundo verde e não mais azul.

Com as novas cores, à distância, o motorista perceberá que quando a placa for verde trata-se de EstaR e é preciso usar o cartão. Quando for azul não será necessário o uso do cartão. Atualmente, tanto o modelo antigo das placas de EstaR quanto as outras placas de estacionamento têm o mesmo formato e a mesma cor, confundindo alguns motoristas que, em alguns casos, usam o cartão do EstaR onde não é necessário.