Curitiba terá um centro especializado de atendimento à mulher, que será instalado em um prédio de 3,4 mil metros quadrados a região central da cidade, em parceria com o governo federal. O anúncio foi feito pelo prefeito Gustavo Fruet durante o ato oficial de criação da Secretaria Municipal Extraordinária da Mulher, que marcou a programação oficial do 8 de março, Dia Internacional da Mulher.
 
O local concentrará serviços que irão desde cuidados e proteção à mulher vítima de violência até incentivos ao empreendedorismo feminino. As negociações entre o município e o governo federal serão detalhadas nos próximos dias.
 
Agora instalada oficialmente, a Secretaria da Mulher – localizada no Palacete Wolf, na Praça Garibaldi – tem a função de fortalecer as políticas públicas voltadas às mulheres, principalmente na inclusão e qualificação para o empreendedorismo e também no combate a violência às mulheres em ações articuladas com as polícias e com a área social. “A secretaria vai ter um papel de liderança e de articulação para lembrar todos os dias à população que a igualdade é um bem ainda a ser alcançado no Brasil”, disse o prefeito. 
 
Fruet lembrou que há 27 anos o pai dele, o então prefeito Maurício Fruet, criou em Curitiba o primeiro Conselho da Condição Feminina do Brasil. “A implantação da secretaria sinaliza que este tema é tão importante em Curitiba quanto o combate ao preconceito racial, quanto a defesa a educação pública de qualidade, a defesa do transporte público e a defesa da saúde”, afirmou.
 
Fruet ressaltou outra importante conquista de Curitiba e das mulheres no Dia Internacional da Mulher. Neste 8 de março, a Prefeitura assumiu o controle do Hospital e Maternidade do Bairro Novo, que será transformado no Hospital da Mulher e cuja criação foi um compromisso assumido durante a campanha. “Neste hospital será feito o maior investimento na rede de proteção às mulheres de Curitiba. Vamos ocupar os 42 leitos com equipes multidisciplinares, com obstetras e genicologistas. Não vamos medir esforços para manter o hospital como referência”, assegurou Fruet.
  
Ele lembrou que grande parte do seu secretariado é composta por mulheres e disse que isso não se dá por cumprimento de cota de gênero, mas pela capacidade técnica, de liderança e pela competência.