A CPI dos Combustíveis pretende trabalhar em parceria com a CPI da Pirataria para apurar a possível ligação entre contrabandistas de cigarros e adulteradores de combustíveis. A informação é do presidente da CPI dos Combustíveis, deputado Carlos Santana (PT-RJ).

As investigações da CPI da Pirataria mostram indícios de que os criminosos que atuam na máfia dos cigarros são os mesmos que atuam na adulteração de combustível. Segundo o presidente dessa comissão, deputado Medeiros (PL-SP), “o tráfico, a falsificação de remédios, de cigarro e de combustíveis têm por trás sempre as mesmas pessoas, criminosos conhecidos”.

Roberto Eleutério, o Lobão, preso no ínicio de setembro acusado de contrabando de cigarros, tem ligações criminosas com Ari Natalino, um dos principais suspeitos de adulteração de combustíveis do País, de acordo com investigações do Ministério Público.

Para o deputado Carlos Santana, um trabalho conjunto entre as duas CPIs vai permitir que os parlamentares desvendem a máfia que atua nos dois setores. “Para nós é importante um trabalho conjunto porque adulteração é pirataria. Eu já entrei em contato com o presidente e o relator da CPI da Pirataria porque podemos fazer muitas incursões com as duas comissões juntas.”

Os integrantes da CPI dos Combustíveis estão hoje em Recife, capital pernambucana, ouvindo representantes dos postos de gasolina, da Secretaria de Fazenda do Estado e do Ministério Público.