O governador Beto Richa anunciou ontem, em Londrina, que o programa Renda Família Paranaense iniciou a transferência direta de uma ajuda financeira mensal do Estado às famílias carentes já cadastradas no Bolsa Família, do Governo Federal.

Em todo o Estado são 93.571 famílias baneficiadas. Neste mês de dezembro estão sendo repassados R$ 2,9 milhões e para o ano que vem o repasse do benefício chegará a R$ 44 milhões. “Iniciamos os repasses e os beneficiários podem realizar os saques usando o cartão do Bolsa Família”, afirmou o governador Beto Richa.

O valor médio do benefício será de R$ 40,00 por família, com um teto mensal de R$ 150,00. “Nossa transferência de renda adota o princípio da promoção da igualdade, respeitando a fato de existirem famílias em situação de pobreza em todos os municípios do Paraná”, afirma a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa.

A ação faz parte do programa Família Paranaense, que oferta atendimento integral às famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social. Em Londrina, por exemplo, são beneficiárias do programa de transferência de renda 4.410 famílias. Os 20 municípios da região somam 7.711 famílias beneficiadas.

Exclusão

De acordo com a lei que criou o programa, o Família Paranaense e o Bolsa Família atuarão de forma complementar. Ou seja, vão receber a renda estadual as famílias que já têm o benefício federal, mas ainda assim não alcançam rendimento per capita mensal de R$ 80 e continuam a viver em situação de exclusão.

Com a Renda Família Paranaense, o governo eleva a linha de extrema pobreza no Estado de R$ 70 (usada pelo governo federal) para R$ 80 per capita. Para receber a renda, as famílias devem manter as crianças na escola, vacinação em dia e as gestantes precisam fazer os exames pré-natal.