Os avanços na área de tecnologia estão sendo debatidos hoje na Conferência Estadual de C&T e Inovação que está sendo realizada em Curitiba. O Paraná está bem posicionado nesta área, segundo avaliação do secretário para Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia, Rodrigo Sobral Sollemberg. O estado destina 2% da sua receita tributária para a composição do Fundo Paraná, administrado pela Secretaria de Estado, que tem como objetivo fomentar a pesquisa e o desenvolvimento em ciência, tecnologia e inovação. ”O Paraná foi o estado brasileiro que teve o maior número de projetos apresentados e a maior captação de recursos no segmento alimentar”, de acordo com Sollemberg.

O presidente do Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar), Mariano de Matos Macedo,informou que, no ano passado, foram investidos R$ 48,2 milhões na área de pesquisa em ciência e tecnologia. As áreas prioritárias selecionadas foram: tecnologia de ponta (da informação e comunicação, biotecnologia e novos materiais), tecnologias sociais, tecnologias para o agronegócio, tecnologias de apoio às pequenas e médias empresas, reequipamentos das universidades públicas, tecnologias para a saúde, tecnologias para a pesca e estudos básicos para a identificação de gargalos e de serviços tecnológicos no Paraná.