O Paraná gerou 89.338 empregos formais nos primeiros 10 meses do ano, segundo levantamento divulgado pelo Ministério do Trabalho. O resultado representou um crescimento de 5,93% sobre o total de trabalhadores com carteira assinada no Estado e supera, com folga, os números de todo ano passado, calculados em cerca de 60 mil. Só em outubro, foram criados 7.008 novos postos de trabalho entre os paranaenses, um aumento de 0,44%.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Empregados (Caged) e mostram que, apesar do alto índice de desemprego no País, o Paraná é um dos estados que apresentam os melhores resultados. Comparativos do IBGE, por exemplo, apontam que enquanto a média de desemprego no País em setembro chegou a 12,9%, na região de Curitiba o índice (8,4%) foi o menor, conforme levantamento do Ipardes.

No levantamento do Caged, o número de empregos formais gerados de janeiro a outubro no Paraná é superior ao dos sete estados do Norte juntos (44.109). O resultado do Paraná no acumulado do ano também é quase igual a soma do desempenho de Santa Catarina (48.186) com o do Rio Grande do Sul (42.101).

Outubro

Especificamente em outubro no Paraná, o resultado do mês foi superior ao da soma dos três estados do Centro-Oeste mais o Distrito Federal. Dos 7.008 novos postos de trabalho surgidos no mês no Estado, 2.771 foram verificados na área de serviços, 2.683 no comércio e 1.364 na indústria. A agricultura ficou responsável por 135 novos postos de trabalho.

No setor industrial, o segmento com melhor desempenho foi de madeira e mobiliário, responsável 811 novos postos de trabalho no mês. A surpresa ficou com o setor de alimentos e bebidas, que sofreu um recuo de 1.512 empregos. No setor comercial, a liderança ficou com o comércio varejista, com 2.683 empregos.