O papa Bento XVI ingressou hoje (30) numa inflamada discussão na Itália ao endossar os esforços dos bispos católicos do país para restringir o acesso das famílias a tratamentos de inseminação artificial.

O pontífice opinou que um referendo marcado para junho sobre uma lei que regulamenta os tratamentos de fertilidade assistida representa uma ameaça à vida e à família.

O papa dirigiu sua mensagem de apoio à conferência dos bispos italianos, que pediu aos eleitores que boicotem o referendo marcado para os dias 12 e 13 de junho. Em sua primeira intervenção numa questão italiana, o apoio do papa não era esperado pelos bispos.

A atual lei italiana proíbe a doação de esperma e óvulos, limita o número de embriões gerados em laboratório e proíbe toda e qualquer pesquisa embrionária. No referendo, os italianos decidirão sobre o fim das atuais proibições ou a manutenção delas.