O mercado futuro de juros abriu em tom bastante otimista, cortando a projeção das taxas para 13,22% ao ano nos contratos de DI (depósito interfinanceiro) com vencimento em janeiro de 2008 negociados no pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros. Na quarta-feira, o juro futuro havia fechado a 13,30% ao ano neste mesmo vencimento. O otimismo vem a reboque do novo recorde de alta da Bolsa de Nova York ontem.

O volume de negócios, porém, é reduzido por conta do dia útil intercalado entre o feriado e o final de semana. Mas operadores acreditam que há espaço para que o mercado corrija os preços diante da melhora de humor verificada ontem no exterior, que não foi acompanhada por aqui por causa do feriado. "Os mercados, tanto o externo quanto o doméstico, estão em uma maré otimista e até números negativos, como foram os divulgados hoje nos EUA, acabam sendo relevados", afirma um operador. "Há pequenas realizações, mas os movimentos de queda têm sido pequenos diante dos movimentos de alta", acrescenta.

Para os juros futuros, esse tem sido o tom dos negócios nos últimos dias. É nesse ambiente que aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), na quarta-feira que vem, sobre o rumo da taxa Selic. O mercado já precifica a hipótese de um corte de 0,5 ponto porcentual nessa reunião, e de 0,25 ponto na reunião de novembro. Caso o Copom confirme as expectativas do mercado na semana que vem, é provável que o mercado amplie o otimismo para a reunião seguinte.