Brasília – O Conselho da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deve se posicionar hoje (7) contra a instalação de uma Assembléia Nacional Constituinte para tratar da reforma política. A proposta foi defendida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana passada, em reunião com juristas no Palácio do Planalto.

Segundo o presidente nacional da OAB, Roberto Busato, o momento não é propício para a convocação da assembléia, especialmente por causa das eleições. Busato defende, no entanto, que a reforma política seja amplamente debatida nesse período.

?Eu acho que cabe à OAB discutir a reforma política até para elevar o ambiente eleitoral da discussão política e comprometer as autoridades que estão disputando cargos públicos para efetivarem esta reforma no início do ano.?