Em 1888, uma caravana composta por 254 pessoas (e dentre elas um padre, integrantes da corte imperial, fazendeiros, um médico e tantos outros) deixava a capital de São Paulo e se dirigia ao então sertão bravio do norte do Paraná, de onde vinham notícias da existência de terras férteis.

Após uma jornada que durou meses, a pé, em liteiras e a cavalo, a caravana cruzou o Rio Paranapanema e chegou até o Estado do Paraná onde se fixou ao lado de uma pequena água no lugar por eles denominado de bairro da Prata, hoje município de Jacarezinho.

De lá deslocou-se para as proximidades do Ribeirão Ourinho, onde, já em 1890 era criado o Distrito Policial de Jacarezinho.

Em 2 de abril de 1900 o Distrito era elevado à Categoria de Termo (Município) alterando seu nome para Nova Alcântara mas retornando dois anos depois para Jacarezinho.

Por fim, em 9 de março de 1904 Jacarezinho passava a ser sede de Comarca, cuja instalação se deu no dia 1.º de junho de 1904 quando então assumiu seu primeiro Juiz de Direito, Dr. Artur Heráclio Gomes e seu primeiro Promotor de Justiça, Dr. Antônio da Silveira Xandó.

Esta, em breves palavras, a origem histórica de Jacarezinho, uma das Comarcas mais antigas do Paraná, das mais importantes também, e que está agora comemorando seu centenário.

Palco de grandes acontecimentos jurídicos, de disputas por terras desde a sua fundação até meados do século XX e de litígios memoráveis, a Comarca de Jacarezinho chega ao seu centenário madura e consolidada como um importante pólo de desenvolvimento jurídico e cultural, condição que passou a abraçar já na década de trinta e que hoje prossegue com seus cursos superiores e dentre eles o de direito, em uma Faculdade estadual (a Faculdade de Direito do Norte Pioneiro) respeitada em todo território nacional como das mais importantes no cenário jurídico brasileiro.

Por isto, no momento em que grandes solenidades registram as comemorações do Centenário da Comarca de Jacarezinho é importante voltarmos nossos olhos para o passado e confirmarmos que só se constrói a história de um lugar com muita luta, trabalho, denodo e dedicação.

E isto se fez e se faz ainda hoje em Jacarezinho, razão pela qual o centenário de sua Comarca serve de motivo para que se parabenize também sua gente e se reverencie as suas origens, desde aquela caravana inicial que se constituiu numa autêntica epopéia na colonização do Paraná até aqueles que hoje lutam por ela.

Celso Antônio Rossi é advogado, Conselheiro Estadual da OAB-PR e membro da Comissão do Centenário da Comarca de Jacarezinho.