A nova plataforma de petróleo P-51, que começa a ser construída nesta quinta-feira no município fluminense de Itaguaí, vai ter capacidade de produção de 180 mil barris/dia, o que representa um aumento de mais 10% da produção nacional, que atualmente varia de 1,5 mil a 1,6 mil barris de petróleo por dia. O Rio de Janeiro é responsável por 83% da produção nacional.

"A P-51 coloca o Brasil em uma situação tecnológica muito importante". ressaltou o secretário estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer . Ele explicou que além de aumentar significativamente a produção nacional de petróleo, que hoje é de 1,5 mil a 1,6 mil barris/dia, a P-51 será a primeira plataforma de petróleo totalmente construída no país. O secretário disse ainda que as obras vão gerar 5 mil empregos diretos e 15 mil indiretos. Apenas para o casco com sistema flutuante, que será construído na fábrica Nuclebrás Equipamentos Pesados .S.A (Nuclep), serão gerados aproximadamente 1.000 empregos.

Os investimentos somam cerca de US$ 800 milhões. Parte do dinheiro virá de recursos próprios da Petrobrás e outra parte de financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A P-51 deve entrar em operação no começo de 2007.