Uma corte francesa inocentou hoje o ex-primeiro-ministro Dominique de Villepin de acusações sobre uma suposta campanha, em 2004, para caluniar o então ministro das Finanças Nicolas Sarkozy. O tribunal decidiu que não havia razão para condenar Villepin, de 56 anos, por cumplicidade na calúnia contra Sarkozy. Na época, os dois políticos disputavam quem seria o sucessor do então presidente da França, Jacques Chirac.

Sarkozy acusava o ex-primeiro-ministro de envolvê-lo em um escândalo de corrupção fabricado, usando uma lista falsa de contas bancárias. O nome do hoje presidente constava em um documento de supostos beneficiários de contas do banco Clearstream, de Luxemburgo. Segundo esses papéis, que depois se mostraram falsos, Sarkozy seria um dos beneficiários de fundos milionários no exterior. Sarkozy também acusou Villepin de esconder as conclusões de um relatório de inteligência, que inocentava o atual presidente no caso. O ex-primeiro-ministro afirmava ser inocente.

Acredita-se que uma vitória judicial de Villepin pode melhorar sua chance de voltar à política, talvez mesmo buscando a presidência em 2012. Ele ganhou projeção mundial por sua oposição à guerra dos Estados Unidos no Iraque. As informações são da Dow Jones.