Exames de DNA confirmaram que Josef Fritzl teve sete filhos a partir de uma relação incestuosa com sua filha durante os 24 anos em que a manteve em cativeiro, informou a polícia austríaca nesta terça-feira (29). Na última segunda-feira (28), a polícia afirmou que o engenheiro aposentado, de 73 anos, confessou ter aprisionado a filha em um porão sem ventilação. A filha tem hoje 42 anos de idade. O caso chocou a Áustria desde que veio à tona durante o fim de semana em Amstetten, a oeste de Viena. A polícia disse ainda que o suspeito admitiu ter jogado o corpo de um dos sete filhos num incinerador dentro de sua casa depois de a criança ter morrido logo após o nascimento.