Uma corte de Justiça no Panamá concedeu liberdade sob fiança para os dois sócios da firma de advocacia Mossack-Fonseca, Jurgen Mossack e Ramon Fonseca Mora, envolvidos no escândalo do “Panamá Papers” no ano passado.

Os sócios foram presos em fevereiro em conexão com outro escândalo que envolvia o pagamento de propinas em diversos países feitos pela construtora Odebrecht.

Os dois foram acusados de lavagem de dinheiro por supostamente criarem contas offshore para a Odebrecht realizar os pagamentos ilegais.

A corte panamenha autorizou a soltura dos sócios nesta sexta-feira, após pagamento de fiança. Entretanto, isso não impede o caso legal contra eles de seguir correndo na Justiça. Fonte: Associated Press.