O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, sofreu hoje um revés na sua base política em Milão, depois de dois dias de eleições locais por toda a Itália – vistas como um teste de popularidade para o líder atingido por escândalos. As eleições de ontem e hoje foram consideradas importantes porque cerca de 13 milhões de eleitores – quase um quarto da população italiana – estavam aptos para votar. Também foi o primeiro teste eleitoral para Berlusconi desde que o premiê de 74 anos foi a julgamento por suspeita de contratar os serviços de uma prostituta menor de idade.

A acusação é um dos quatro casos legais ativos contra Berlusconi atualmente, e o único que trata de sua vida pessoal. O primeiro-ministro negou participação em todos os casos e recentemente compareceu aos tribunais de Milão para se defender.

Projeções e apurações iniciais sugerem resultados mistos para Berlusconi, mas na disputa eleitoral mais significativa, a candidata para a prefeitura de Milão apoiada pelo premiê estava ligeiramente atrás de seu oponente de centro-esquerda. Se o resultado for confirmado, forçará um segundo turno e seria um grande golpe para Berlusconi, que se engajou bastante na campanha. O segundo turno ocorrerá nos dias 29 e 30 de maio.

Milão é a sede do império midiático, do time de futebol (AC Milan) e da casa particular de Berlusconi, sua mansão em Arcore. A coalizão de centro-direita domina a cidade de 1,3 milhão de habitantes há 15 anos.

Stefano Folli, um importante analista político disse que, se confirmado, o resultado pode ser visto como um voto contra Berlusconi, em vez de apenas contra sua candidata. “Ele colocou sua marca na campanha em Milão, foi ele quem disse que se tratava de um referendo” sobre o seu governo, disse Folli.

Berlusconi transformou as eleições em um assunto pessoal ao convocar os italianos a votarem em seus candidatos como forma de apoio ao governo nacional. O premiê também enfrenta tensões dentro de sua coalizão, com um aliado importante da Liga do Norte, Umberto Bossi, descontente com a campanha liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Líbia. Outro ex-aliado, Gianfranco Fini, também cortou laços com o partido de Berlusconi e abandonou a coalizão.

As projeções divulgadas hoje pela rede de TV estatal RAI tem margem de erro de mais ou menos 4 pontos porcentuais. Os resultados vieram do relatório de algumas estações. Analistas alertam, no entanto, que os resultados finais, que não devem sair até amanhã, podem ser muito diferentes dos dados iniciais.

Em outra disputa acirrada, o candidato de Berlusconi esteve bastante a frente de seus adversários em Nápoles, no sul do país, atormentada por uma crise recorrente de coleta de lixo. Berlusconi deslocou soldados na semana passada para ajudar na coleta de pilhas de lixo para fechar sua campanha eleitoral na sexta-feira, procurando arrebatar a cidade que teve vários mandatos de prefeitos de centro-esquerda.

Em Turim, as projeções mostraram que o candidato de centro-esquerda parece caminhar para uma vitória no primeiro turno como esperado. Em Bolonha, o candidato de centro-esquerda também está na frente. Os adversários de Berlusconi controlavam ambas as cidades. As informações são da Associated Press.