O presidente dos EUA, Barack Obama, criticou a influência das empresas nas eleições e pressionou o Congresso norte-americano a aprovar uma lei para limitar os gastos corporativos em campanhas.

Falando durante seu programa semanal de rádio, Obama disse que o Congresso precisa aprovar uma legislação que exija a divulgação maior de finanças de campanha diante da decisão controversa da Suprema Corte, em janeiro, que dá às corporações amplos direitos de liberdade de expressão.

“Em resumo, essa decisão dá às companhias a possibilidade de gastar quantidades ilimitadas de dinheiro – milhões de dólares, literalmente – para influenciar eleições em nosso país”, disse Obama. “Isso, por sua vez, vai multiplicar a influência das empresas sobre o processo de tomada de decisão de nossos governos.”

Obama disse que apoia um projeto lançado esta semana pelo senador Charles E. Schumer (democrata de Nova York) e pelo representante Chris Van Hollen (democrata de Maryland), exigindo que as companhias se apresentem em campanhas. O projeto também impediria as empresas que prestam serviço ao governo e as corporações estrangeiras de gastar em eleições norte-americanas.

Republicanos, no entanto, afirmam que a proposta é uma tentativa dos democratas de cercear as mensagens de grupos com os quais não concordam. As corporações dos EUA geralmente tendem a apoiar os republicanos em eleições. As informações são da Dow Jones.