O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chamou de “consenso histórico” a aprovação no Comitê de Comércio e Energia da Câmara do projeto que abraça suas propostas para reforma do sistema de saúde no país.

A proposta foi aprovada por 31 votos a 28, na noite de ontem (31), graças a um acordo costurado pelos líderes democratas do Comitê. A aprovação limpa o caminho para que o projeto seja votado no plenário da Casa em setembro, quando os congressistas retornarem do recesso de verão.

“Esse passo histórico do Comitê de Comércio e Energia nos coloca mais próximos do que jamais estivemos da reforma no sistema de saúde”, declarou Obama em nota oficial.

A lei amplia o leque de pessoas elegíveis para o Medicaid, o programa federal de assistência médica; garante subsídios aos planos de saúde para a classe média e oferece um plano patrocinado pelo governo como alternativa à assistência privada.

A emenda dos republicanos que vetava a chamada “opção pública” foi derrotada por 31 votos a 28.

O projeto também inclui propostas que visam a limitar o aumento nos prêmios de seguro e permitem que o governo negocie preços de produtos farmacêuticos.

De modo geral, o projeto pretende garantir cobertura médica para cerca de 50 milhões de americanos que hoje estão fora do sistema de saúde e restringir os custos com assistência médica.