As forças do governante da Líbia, Muamar Kadafi, atacaram a importante cidade portuária de Misurata com foguetes hoje, ferindo refugiados e forçando um navio humanitário a afastar-se. Vários foguetes Grad atingiram o porto 12 quilômetros a leste da cidade. Um navio da Organização Internacional para as Migrações (OIM), que havia acabado de chegar para ajudar a retirar refugiados, permaneceu fora da área como precaução, segundo um jornalista da France Presse.

O ataque ocorre após uma redução nos confrontos, quando os rebeldes em Misurata disseram que empurraram forças leais a Kadafi para fora da cidade. Kadafi, porém, permanece desafiador, mesmo após um ataque aéreo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ao complexo onde fica seu escritório.

Em Misurata, última base dos rebeldes no oeste da Líbia, a 215 quilômetros de Trípoli, o médico Khalid Abu Falra, do principal hospital da cidade, disse que “vários refugiados foram feridos pelo bombardeio”. Segundo ele, pode haver pessoas mortas. “A Otan pediu ao barco da OIM que deixe o porto”, disse uma fonte rebelde, acrescentando que “cerca de 20 veículos” com partidários de Kadafi se aproximavam da cidade.

Em Benghazi, o oposicionista Conselho Nacional de Transição afirmou que os rebeldes ainda controlavam Misurata, apesar de terem sido cercados e atacados por forças de Kadafi. “A situação em Misurata segue grave. Os revolucionários estão no controle, mas eles permanecem cercados e são bombardeados”, afirmou um porta-voz do conselho, Jalal al-Gallal. Misurata está cercada por tropas de Kadafi a leste, sul e oeste. Seu único acesso é pelo mar. O aeroporto, bastante danificado, está nas mãos das forças de Kadafi, disseram os rebeldes. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.