A violência no Iraque causou 112 mortes em março, o menor resultado mensal desde a invasão do país por forças lideradas pelos Estados Unidos, em 2003. Os dados, compilados pelos ministérios da Defesa, Interior e Saúde, foram divulgados no domingo e mostraram que outras 357 pessoas ficaram feridas em ataques e outros incidentes no mês passado.

O número de março inclui 78 civis, 22 policiais e 12 soldados. O recorde de baixa anterior havia sido registrado em novembro de 2009, quando morreram 122 pessoas.

A ocorrência mais grave do mês passado foi uma série de ataques coordenados em oito cidades iraquianas, em 20 de março, quando os insurgentes tentaram atrapalhar a realização de uma reunião da Liga Árabe em Bagdá, capital do país. No dia em questão, morreram 46 pessoas e mais de 200 ficaram feridas. Apesar disso, as fortes medidas de segurança adotadas antes da cúpula parecem ter prevenido mais ataques.

Autoridades dizem ter planos de aliviar as medidas de segurança e reduzir o número de postos de controle na capital e outras cidades iraquianas. Nos últimos três anos, a violência diminuiu bastante no Iraque, mas grupos insurgentes lançam ataques com frequência numa tentativa de abalar a confiança do governo xiita. As informações são da Associated Press.