A mídia palestina demonstrou preocupação nesta quarta-feira (11) sobre o futuro do processo de paz no Oriente Médio após as eleições parlamentares em Israel se traduzirem em uma provável guinada à direita. “A atividade política em geral e o processo de paz em particular serão congelados”, afirmou o jornal Al-Quds, principal diário dos territórios palestinos. O linha-dura partido Likud estava uma cadeira parlamentar atrás do centrista Kadima. Porém o Likud parecia em melhor posição para formar uma coalizão. Além disso, o ultranacionalista Israel Beitenu pode tornar-se o fiel da balança, caso confirme a terceira posição.

O negociador palestino Saeb Erekat também demonstrou desilusão. Segundo ele, de acordo com os resultados os requisitos para a paz não serão encontrados “por qualquer forma de coalizão resultante desta eleição”. De acordo com o sistema político israelense, mesmo que um partido perca a eleição, como parece ser o caso do Likud, ele pode formar o governo, caso tenha mais sucesso que o primeiro colocado para realizar uma coalizão. Como a direita ganhou espaço nessas eleições, o partido linha-dura aparece mais perto do poder.

“Nós esperamos uma continuação das mesmas políticas israelenses, novas agressões a Gaza, a continuação dos assentamentos na Cisjordânia e a demolição de casas em Jerusalém”, afirmou o Al-Hayat Al-Jadida, jornal da Autoridade Palestina. Para esse veículo, não há diferença entre os partidos israelenses. As informações são da Dow Jones.