O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, advertiu no fim da noite de sexta-feira que o governo instalado por meio de um golpe militar em Honduras poderia provocar um incidente na fronteira para “desviar a atenção” dos esforços internacionais para restaurar o deposto Manuel Zelaya na presidência hondurenha.

“Há um risco de, para tentar desviar a atenção do conflito interno por eles mesmos criado, eles tentem organizar um grupo de pessoas com treinamento militar para atacar uma posição do exército hondurenho e depois usar isso como pretexto para uma retaliação contra a Nicarágua”, declarou Ortega em Manágua.

Ortega, cujo governo está abrigando Zelaya e algumas centenas de simpatizantes do presidente hondurenho deposto, não se aprofundou mais nas especulações nem apresentou evidências que as sustentem.

No entanto, as declarações vêm à tona em um momento no qual o governo interino hondurenho paralisa a busca por uma solução negociada ao insistir em que Zelaya, deposto nos últimos meses de seu mandato, não será reempossado.