A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou hoje que Israel deve demonstrar com ações seu compromisso com o processo de paz no Oriente Médio. Hillary negou, porém, uma crise nas relações entre os Estados Unidos e Israel. A secretária de Estado disse que funcionários dos dois países realizam intensas conversas “sobre as medidas que acreditamos que demonstrariam o compromisso com o processo”.

Hillary acrescentou que o governo do presidente Barack Obama aguarda uma resposta dos israelenses sobre as sugestões dadas para reparar os danos causados pelo anúncio de Israel, na semana passada, da autorização para a construção de novas casas em Jerusalém Oriental. Os palestinos querem essa parte da cidade como capital de seu futuro Estado independente.

Hillary opinou que os vínculos entre Washington e seu principal aliado no Oriente Médio não estão em risco. Ela disse que os EUA mantêm seu compromisso com a segurança de Israel e a retomada das negociações de paz com os palestinos.

Mais tarde, o Departamento de Estado dos EUA anunciou que o enviado especial da Casa Branca ao Oriente Médio, o ex-senador George Mitchell, cancelou seus planos de realizar conversações, nesta semana, com líderes israelenses e palestinos.

O porta-voz da chancelaria, P. J. Crowley, informou nesta terça-feira que Mitchell ainda pretende manter o diálogo, mas não antes de uma reunião sexta-feira, em Moscou, com importantes diplomatas para avaliar o processo de paz no Oriente Médio. Crowley negou que a decisão seja um sinal de que os Estados Unidos estão mudando a marcha de sua pressão para a retomada das negociações de paz entre Israel e palestinos.