A Grécia bateu as metas orçamentárias defendidas pelos credores internacionais nos três primeiros meses do ano devido às reduções de gastos e receitas mais elevadas do que o esperado em março, de acordo com dados divulgados pelo Ministério das Finanças nesta quinta-feira.

Segundo o comunicado, o superávit primário do governo central, que não leva em conta o pagamento de juros, subiu para 1,74 bilhão de euros no primeiro trimestre, acima do estimado pelos credores internacional, que tinham como alvo 119 milhões de euros, e do valor registrado no mesmo período do ano passado, quando atingiu 1,54 bilhão de euros.

A receita nos três primeiros meses de 2015 totalizaram 12 bilhões de euros, pouco acima da meta, de 11,9 bilhões de euros. Após sofrer uma queda da receita em janeiro e fevereiro por causa da receita fiscal mais baixa, o mês de março contribuiu para o bom desempenho, totalizando 4,2 bilhões de euros, superando a meta de 3,2 bilhões de euros, disse o ministro das Finanças, Dimitris Mardas.

Os gastos também seguem controlados, com as despesas do governo somando 12,5 bilhões de euros, menos que o valor de 14 bilhões de euros estipulado como meta pelos credores internacionais.

O orçamento do Estado leva em conta apenas as operações do governo central da Grécia e não inclui contas das administrações públicas, que compõem o governo local e uma parcela dos gastos militares, bem como os dados de algumas empresas estatais e fundos de pensão. Fonte: Dow Jones Newswires.