Jatos de combate do Paquistão mataram hoje pelo menos seis militantes e destruíram esconderijos em um instável distrito tribal do noroeste do país, disseram funcionários locais. O ataque aéreo ocorreu na área de Mamozai, em Orakzai, local conhecido por concentrar militantes, onde rebeldes buscaram abrigo em meio a uma operação militar no distrito tribal do Waziristão do Sul. “Pelo menos seis militantes foram mortos e 12 ficaram feridos em um ataque aéreo da Força Aérea do Paquistão”, afirmou Javed Khan, funcionário do governo local. “Quatro esconderijos militantes foram destruídos no bombardeio.”

Na semana passada, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, pediu a Islamabad que tome passos decisivos para derrotar a Al-Qaeda. Ela foi a maior autoridade dos Estados Unidos a visitar o Paquistão desde a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, em uma operação norte-americana no território paquistanês em 2 de maio.

Khan disse que havia relatos de que o comandante do Taleban paquistanês Tariq, que utiliza apenas um nome, pode estar entre os mortos. Ele é apontado como líder dos militantes na região tribal de Darra Adam Khel, entre as cidades de Peshawar e Kohat.

Nos dois últimos anos, o Paquistão ampliou as operações contra militantes no cinturão tribal. Porém funcionários norte-americanos cobram uma maior ofensiva no Waziristão do Norte, considerado local de concentração da Al-Qaeda e do Taleban para planejar ataques do outro lado da fronteira, no Afeganistão, contra as forças estrangeiras. As informações são da Dow Jones.