Um novo tremor de 6,4 graus na escala Richter desencadeou nesta sexta-feira (14) um novo alerta de tsunami na Indonésia, aumentando ainda mais a tensão entre as comunidades costeiras. Centenas de pessoas fugiram para áreas mais elevadas antes de o alerta ser cancelado.

Especialistas acreditam que o pior talvez ainda esteja por vir.

Na quarta-feira, um terremoto de 8,4 graus na escala Richter foi sucedido por uma série de outros abalos, inclusive um de magnitude 7,8 e outro de 7,1. Ao todo, 13 pessoas morreram, centenas de casas foram danificadas e uma parede de água de três metros de altura atingiu a costa de Sumatra e destruiu cerca de dez casas.

A incidência de três terremotos tão fortes num intervalo tão curto de tempo preocupa os especialistas. Kerry Sieh, do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), passou décadas estudando a volátil falha geológica em atividade na região. Ele é um dos muitos especialistas que prevêem a iminência de um terremoto tão monstruoso quando o tremor que provocou o tsunami do fim de 2004, que matou 230.000 pessoas no litoral de diversos países da bacia do Oceano Índico.

"Ninguém pode prever se acontecerá em 30 segundos ou em 30 anos" disse ele. "Mas com o que aconteceu outro dia, creio ser perfeitamente possível a incidência de uma série de abalos mais fracos até a ocorrência de um extremamente forte", especulou

"Há fortes indícios de que um grande terremoto possa ocorrer", disse Danny Hillman, um sismólogo do Instituto de Ciências da Indonésia. "Todos concordamos que há um terremoto de 8,5 graus ou mais forte esperando para acontecer.

A Indonésia repousa sobre uma das regiões de maior atividade sísmica do planeta e foi palco de diversas catástrofes naturais ao longo dos últimos anos, entre elas o tsunami do fim de 2004, no qual mais de 230.000 pessoas morreram ou desapareceram, 160.000 somente em Sumatra. Na ocasião, as ondas gigantes foram desencadeadas por um terremoto de 9 graus na escala Richter ocorrido a 29 quilômetros de profundidade.